Posted by
Notícias

A radiofrequência chegou para substituir o código de barras. Saiba mais sobre essa tecnologia e como ela pode beneficiar as operações logísticas!

Quando você vai comprar algo, é bem comum que a pessoa no caixa registre a compra e o valor através do código de barras, não é mesmo? Ainda que esta seja uma das práticas mais comuns do nosso dia a dia, em breve ela pode ser substituída pelo RFID.

A sigla em inglês significa Radio Frequency Identification — ou Identificação por Radiofrequência. As etiquetas RFID são uma alternativa mais rápida e simples do que o código de barra, cujo principal objetivo é contribuir para a gestão do fluxo de materiais em todos os elos da cadeia de suprimentos.
Afinal, ainda que o uso dos códigos de barra seja considerado positivo por mais de 90% das empresas, dados da Associação Brasileira de Automação afirmam que 88% consideram que a tecnologia de identificação RFID facilita a administração.
A seguir, você entenderá como funciona o RFID na logística e como os armazéns podem se beneficiar dessa tecnologia.
O que é e como funciona o RFID na logística?
sistema de radiofrequência utiliza ondas eletromagnéticas para transmitir dados em tempo real, sem a necessidade de intervenção humana ou visual. Essa tecnologia identifica, rastreia e gerencia diversos produtos, e por isso tem tanta aplicação na gestão da cadeia logística.
Seu primeiro uso foi durante a Segunda Guerra Mundial, quando as forças britânicas utilizaram a etiqueta RFID para distinguir quais eram os aviões inimigos. Hoje em dia, o sistema de radiofrequência é utilizado em cartões de aproximação para o acesso a prédios e transportes públicos ou em objetos diversos para evitar furtos.
Você deve estar se perguntando como funciona o RFID na logística, e a resposta é bem simples. De modo geral, esse sistema é composto por uma antena, responsável pela leitura do sinal. Ela transfere a informação para um dispositivo leitor e para uma etiqueta de radiofrequência, que deverá conter o circuito e a informação a ser transmitida.
Assim, a antena emite o sinal do circuito integrado para transmitir suas informações para o leitor, que por sua vez converte as ondas de rádio do RFID para informações digitais. Depois de convertidas, elas podem ser lidas e ter seus dados analisados.
Quais são as vantagens da RFID?
Além de saber como funciona o RFID na logística, é preciso entender quais são os benefícios que esse sistema traz para o armazém. Ele atua principalmente no controle de estoque, pois o sistema de radiofrequência presente nos produtos permite que os analistas e gestores tenham relatórios completos, minimiza a chance de erros e dispensa a necessidade de fazer balanços mensais demorados e manuais.
Os principais benefícios da radiofrequência logística são: 
– Rastreamento de itens, prevenindo roubos e/ou falsificação de mercadorias;
– Alta capacidade de armazenamento, leitura e envio dos dados;
– Durabilidade e possibilidade de reutilização das etiquetas;
– Agilidade no processo de expedição;
– Controle de mercadorias em estoque.
Com este artigo, esperamos que você tenha entendido como funciona o RFID e como essa tecnologia pode ser vantajosa dentro da operação logística. Para saber mais sobre como potencializar o armazém em que você trabalha, continue acompanhando o blog da Bertolini!
Fonte: https://www.bertoliniarmazenagem.com.br/